quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011


Esta imagem significa delicadeza, perfeição, suavidade, inocência, leveza, simplicidade e segurança.

Tudo o que uma bailarina transmite em palco é isto. Parecem pequenos flocos de neve que ao mínimo toque se podem partir. A leveza e o seu movimento esvoaçante, faz parecer que a arte de flutuar é fácil e que qualquer uma consegue. Parece que nada dói, que nada custa e que é quase como estalar dedos e tudo fica bem.

“I had the craziest dream last night about a girl who has turned into a swan, but her prince falls for the wrong girl and she kills herself.”

Quando vi o filme chorei muito, desde o início ao fim. Pela seguinte razão: “este filme podia ser a minha vida”.

A parte de dupla personalidade não é mais do que uma metáfora para explicar o que ela passa durante este processo de se ser Prima Bailarina (a melhor solista da companhia). Não interessava se seria o Lago dos cisnes, Copélia ou outro bailado. O que realmente se podia ver ali, com qual muitas de nós nos identificamos, é a procura clara da perfeição que a leva a um estado de loucura e sofrimento.

Quantas vezes não nos agredimos ou fazemos coisas sem ter a menor consciência dos resultados? Quantas vezes não insistimos em lutar mais pela perfeição? Quantas vezes não sacrificamos a nossa vida e as dos que nos rodeiam por chegar à nossa imagem de beleza?

Este filme traduz o processo para tentar lá chegar e a quantidade de problemas adversos que surgem dessa procura doente. Alucinações, perca de identidade, loucura e suicídio.

Não vemos monstros nem desenhos a gritarem, mas vemos gordas em espelhos e reflexos na rua. Não fazemos Fouettés até partir as unhas dos pés, mas também não ficamos quietas à espera que o corpo mude.

Devo dizer que me comoveu bastante porque, como estudante de dança e por fazer à alguns anos ballet, sei que metade do que aconteceu no filme é real. Mas como o filme se adapta a todas as obsessões de atingir a perfeição (seja em que contexto for) ainda me comoveu mais. O cliché da forma como ela come ou vomita pouco importa, porque não é novidade nenhuma, mas até onde a mente a leva para atingir a perfeição, isso sim é chocante.

O fim particularmente (e agora desculpem os spoilers) indica que a perfeição não existe e que ela mesmo que sinta que a atingiu, de nada lhe serviu, pois o fim dela é igual a muitas de nós.

E digo de nós, doentes de problemas alimentares, mas poderia ser outra obsessão. Pois idealizamos sempre resultados impossíveis e por mais que nos esforcemos, nunca estamos contentes.

Uma em cada 10 doentes de distúrbios alimentares, morre. Por ataque cardíaco ou suicídio.

Agora digam-me: tudo isto vos afectou?

A mim sim, mas não me fez parar com nada do que faço.

Porquê?

Porque por mais chocante que seja saber que é impossível chegar à perfeição, eu não vou deixar de tentar.

Mas porquê?

Porque eu quero ser magra.

És uma estúpida egocêntrica, que come merda às colheres!

So true…

13 comentários:

  1. Seu texto perfeito. Transmitiu toda essencia do filme (que ainda não assistir) mas já li em vários blogues comentarem e as criticas e os resumos.

    Pois é perfeição não existe! Mas sempre vamos buscar.
    O final do seu texto foi excelente... disse tudo em poucas palavras!

    Abraços!

    ResponderEliminar
  2. Mexes.te comigo. Fui ver o filme ontem e desde então não paro de pensar nele...
    Eu não faço ballet, nunca fiz, infelizmente, mas identifiquei-me tanto.
    Sabes onde, principalmente? Quando ela está a morrer e as suas ultimas palavras são "Eu consegui, eu fui perfeita". Eu sempre disse que não me importaria nada de morrer se morresse perfeita...
    Adorei.

    ResponderEliminar
  3. Eu adorei o filme. Quando ele pergunta à Nina "tanta obcesao e disciplina para que?!" e ela diz "eu só quero ser perfeita!". Retrata muito bem a luta de quem vive obcecado para atingir algo. E quando ela recusa o bolo que a mãe compra, acho que essa cena está muito bem conseguida, consegui ver nos olhos dela o desespero e a procura da desculpa para não comer que eu própria sinto! E no final eu só pensei "quem me dera um dia também poder dizer "eu senti-me perfeita".

    ResponderEliminar
  4. Mas as cenas que me afectaram nem foram essas com a comida. São típicas e já estou habituada. Mas a sua procura pela perfeição e quando a encontrou, chegou ao final da vida.

    Não existe perfeição, só tentativa de o ser.

    ResponderEliminar
  5. É maravilhoso. Assustador para quem o compreende realmente mas lindo. Engraçado que numa altura desejei morrer no palco a dançar porque achei que seria a unica forma de morrer feliz. Descobri o ballet depois de ja estar "doente" e neste momento é a unica coisa que tenho e a unica que foi capaz de manter aqui ate agora

    ResponderEliminar
  6. Eu também fui ver o filme e adorei alias ia fazer um post sobre isso talvez ainda faça..
    em segundo tenho 35 (ups!!!já devia ter juizo mas não tenho mesmo por isso ninguem mos dá eh ehe he....)
    e ainda em relação ao filme acho que mais do que a comida e a perfeicção ou a obssessão desmedida o que realmente me fez pensar foi que por vezes nós somos o nosso proprio inimigo,nós criamos os obstaculos e por vezes a nossa falta de confiança é nos faz fracassar ...tudo gira á nossa volta, na nossa mente o sucesso de depende de nós tudo que é preciso é "matar" esse lado que nos limita e não nos deixa ver para além de...amei o filme pronto :)em relação a gravidez estão todos felizes sim :) o papá também :):)
    bjs

    ResponderEliminar
  7. Bem, apenas posso concordar contigo perante este filme, e eu infelizmente sabendo isto tudo e a crueldade, continuo a querer a perfeição.
    Quanto ao piercing, doi bastante, mas isso sempre é subjectivo.
    Bjinhos

    ResponderEliminar
  8. babe tenho novidades. acerca da sibutramina. amanha ja te esclareço. agora tenho aqui companhia e nao param de olhar para o portatil

    ResponderEliminar
  9. ora portanto o que eu tenho para dizer é que pelos vistos, ou foi boato que saiu do mercado ou voltou ao mercado -8coisa que o infarmed faz muito...) pq a minha mae veio me com uma conversa de "ah eu ate comprava mas n sei é caro..." eu perguntei lhe como é que comprava se ja nao havia e ela disse que tinha de haver pq uma amiga tinha comprado... portanto aí tens. quando tiver a confirmaçao aviso.

    ResponderEliminar
  10. Vi o filme e claro que a única pessoa que me veio à mente foste tu.
    Pensei em todo o meu futuro e do que queria na realidade fazer dele e se envredar pelo mesmo caminho que tu e conseguir ser perfeita tu o que ficou para trás (dor, lágrimas, vómitos, jejuns) valeu a pena pois por apenas uma vez num acto apenas teria conseguido o limite invisível aos olhos - a perfeição!

    Beijo

    ResponderEliminar
  11. Olá, finalmente encontro alguém da minha Nacionalidade :)
    Chamo-me Ana e sou do Porto, a gente pode falar ?
    adoro o teu blog, se precisar de alguma coisa diga, o filme é mesmo muito lindo
    Força

    ResponderEliminar
  12. querida amiga venho gentilmente pedir para que siga o novo endereço do meu blog
    www.ficandoemforma.blogspot.com
    Pois o endereço da penelope se encontra com problemas de atualização da hora e sera importado para esse novo endereço.
    Peço gentilmente, que passe a me seguir no blog citado acima,até mesmo devido ao sorteio do blog, só vai concorrer quem for seguidora e as incrições se encerram dia 07.03
    espero você no meu novo endereço
    http://ficandoemforma.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  13. Espero que esteja tudo bem por ai.
    Bjinhos

    ResponderEliminar